Interpretação clínica

  • Homem de 48 anos, veio a consulta com queixas de diarréia aquosa, em grande quantidade, há 1 dia, acompanhada de tonturas, náuseas, vômitos e febrícula. Refere ter retornado de viagem de férias com a familia. Foi de excursão visitando várias praias do norte do Brasil. Nega queixa intestinais anteriormente. Apresenta-se saudável nos exames periódicos da empresa.
  • Exame físico, leve desidratação, mucosas e língua seca. Taquicárdico, PA 110/60 mmHg. Abdomem flácido indolor a palpação e ruído hidroaéreo aumentado.

Qual a causa da diarréia e como tratar?

Esse paciente tem sintomas característicos de uma gastroenterocolite bacteriana.

Existem duas apresentações clínicas características da diarréia infecciosa que nos ajuda a determinar o agente etiológico. As diarréias causadas pela ingestão de toxinas bacterianas pré-formadas e as que requerem a colonização. A primeira ocorre nas infecções pelo Staphylococcus aureus, Clostidium perfringens e Escherichia coli enterotoxigênica, inicia-se com náuseas e vômitos, seguida de diarréia dentro de 12 horas da ingestão e duram até cinco dias; a segunda ocorre na infecções pelas espécies de Salmonella não-tifóide, Escherichia coli enteropática e Campylobacter jejuni, produzem diarréia 48 horas após a ingestão do alimento, e dura 3 a 5 dias.

A diarréia bacteriana usualmente é auto-limitada, e necessita apenas de terapia de suporte (hidratação, antipirético e antiemético) Antibióticos são reservados para pacientes com diarréia que persiste por mais de sete dias ou que exibem sintomas tóxicos de febre, dor abdominal ou hematoquezia.

Nesse paciente, muito provavelmente o agente etiológico é a Escherichia coli enterotoxigênica e o tratamento é o de suporte.

Prevenção

O médico deve advertir aos viajantes sobre os perigos das pedras de gelo, água de torneira, saladas (mesmo consumidas em restaurantes caros), alimentos que não tenham sido recentemente cozidos e frutas descascadas.

Outros agentes etiológicos da diarréia infecciosa

E. coli O157:H7 - O E. coli O157:H7 ("Escherichia coli" Êntero-hemorrágica), um contaminante de bife ou queijo mal processados, pode causar colite hemorrágica, podem complicar como síndrome hemolítico-urêmica ou púrpura trombocitopênica trombótica. Acredita-se que ocorra pela citotóxina que danifica as células endoteliais.

Salmonella não tifóide - Esta bactéria presente em frangos e ovos freqüentemente é fonte de surtos epidêmicos de diarréia. Elas invadem a mucosa intestinal sem causar inflamação, portanto, não existem leucócitos nos exame das fezes.

Yersinia enterocolitica - Este microorganismo invade o cólon direito e íleo; uma infecção aguda que pode mimetizar apendicite ou doença de Crohn

Criptosporidiose - A diarréia Criptosporidiose é vista principalmente nos pacientes imunodiprimidos ou com SIDA. os microorganismos se ligam à borda em escova, levando ao desaparecimento desta borda e causando diarréia secretória. Não existe terapia específica. A sorte é que esta diarréia é autolimitada.

Referências:

Su C, Brandt L J - Escherichia coli O157:H7 infection in humans. Ann Intern Med 1995;123:698-714.

DuPont HL - Guidelines on acute infectious diarrhea in adults. The Practice Parameters Committee of the American College of Gastroenterology. Am J Gastroenterol 1997;92:1962-1975.




MENOPAUSA


Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite