UM PROBLEMA QUE ATINGE PESSOAS DE TODAS AS IDADES PODE SER AO MESMO TEMPO UM INIMIGO INVISÍVEL E UM ALIADO DA BOA SAÚDE: O COLESTEROL
 
O que é o colesterol bom e ruim?
 
O colesterol, assim como seus perigos e benefícios foi descoberto através de um estudo feito com esquimós da Groenlândia. Este inimigo invisível foi constatado devido às mudanças de hábitos dos esquimós. Os que migraram para as cidades tinham mais chances de desenvolver o colesterol LDL, que é o prejudicial à saúde. Os que permaneceram, tinham boa alimentação, por comerem carne de peixe de águas muito frias, não tinham doenças como infartos e derrames.
A partir daí, foram diagnosticados os dois tipos de colesterol existentes: o HDL, que é o colesterol bom, de alta densidade, e o LDL, que o colesterol perigoso, de baixa densidade.
Segundo o geriatra e gerontólogo Armando Miguel Junior, enquanto o HDL “limpa” a sujeira do organismo, o LDL se infiltra nas paredes das artérias e causa a chamada aterosclerose. O LDL pode ser um dos responsáveis pelo entupimento das artérias, infartos e derrames cerebrais.
 
Como previnir do colesterol ruim?
 
A melhor maneira de prevenção é o controle da alimentação e a mudança do estilo de vida. A quantidade ideal no organismo de cada um dos dois tipos de colesterol deve ser inferior a 130 miligramas/decilitro para o LDL e maior que 50 miligramas/decilitro para o HDL.
 
Entre os alimentos "vilões" que aumentam o colesterol ruim estão as frituras, gema de ovo, queijos amarelos, maionese, chantili, chocolate, coco, requeijão e embutidos em geral. “Sobre as frituras existe uma crendice errônea de que se usar óleo de soja, de girassol, canola, fica-se livre do colesterol, o que não é verdade. Durante a fritura esses óleos saturam-se e provocam o aumento do LDL que é o colesterol ruim. Na verdade nenhuma fritura é boa para saúde”, esclarece o médico.
 
Já alimentos como frango sem pele, peixe sem pele e presunto magro, por exemplo, podem ser consumidos moderadamente, enquanto o leite desnatado, frutas cítricas, sucos, legumes e ricota podem ser consumidos à vontade que não prejudicam o colesterol.
 
Muito se fala também nas margarinas ricas em polinsaturados e leites ricos em Ômega Três, que também podem ser consumidos sem problemas.
 
O tratamento mais adequado é à base de medicamentos que inibem a absorção de gordura e ajudam no metabolismo. Também se pode associar ao tratamento medicamentos naturais como a lecitina de soja, farelo de trigo e alimentos ricos em vitamina B3.
 
Ainda de acordo com o geriatra, muitas pessoas associam o colesterol ao triglicerides, que é uma gordura que "vem" da massa. “O que é prejudicial ao organismo é a associação do colesterol com o triglicerides”, finaliza.
Entrevista na Radio Bandeirantes AM 1170 - Campinas dia 06/10/2005





Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite