Hipertensão arterial, associada ao colesterol é a doença que mais mata no mundo.

Somente 20% dos pacientes controlam a doença, enquanto 40% das pessoas nem sabem que tem a doença.

 

A hipertensão arterial, associada ao colesterol é a maior causa de morte e invalidez em todo o mundo. Ela ataca indistintamente homens e mulheres, podendo causar acidentes vasculares cerebrais (derrames cerebrais) e os infartos. O risco é maior em pessoas acima de 35 anos e ele aumenta junto com a idade.
 
O que é hipertensão arterial?
 
Sempre associada a doenças cardíacas, a hipertensão é o aumento dos níveis tensionais acima de 140 x 90 mmHg. A pressão arterial deve ser medida com o paciente sentado e confirmada após período de repouso em 3 medidas.
 
De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), de cada cinco pessoas que tem hipertensão, apenas uma sabe o diagnóstico e trata corretamente. duas sabem, mas não trata e as outras duas desconhecem que tem a doença. Isso significa que somente 20% dos pacientes controlam a hipertensão, enquanto 40% nem sabem que tem a doença.
 
Como a hipertensão se manifesta?
 
O geriatra e gerontólogo Armando Miguel Junior explica que ela é chamada de “inimigo oculto” pois não há manifestação de sintomas e quando eles aparecem, são seguidos problemas graves de saúde como derrames cerebrais e infarto.
 
Os primeiros sintomas notados quase nunca são associados à doença. Esses sintomas podem ser a irritabilidade, cefaléias, tontura, cansaço e nervosismo.
 
Quais os tipos de hipertensão?
 
Existem dois tipos de hipertensão: a hipertensão primária e secundária. Na primária, correspondente a 90% dos casos, não há causa conhecida e a própria hipertensão é a causa de lesões em diferentes órgãos do corpo como cérebro, coração, rins e olhos. Enquanto a secundária, menos comum, tem causa estrutural ou hormonal bem definida e, portanto potencialmente corrigível, o que dá importância a sua identificação. Entre essas causas podem estar a hereditariedade (notar que a doença já se manifestou em pais, avós); uso excessivo de glicocorticóides; excesso de peso; nefrites (a nefrite é o resultado de um processo inflamatório difuso dos glomérulos renais tendo por base um fenômeno imunológico); hipertensão na gravidez; problemas na artéria aorta; tumores e algumas doenças endocrinológicas.
 
A hipertensão na gravidez deve ser controlada durante todo o pré-natal, pois em função dela pode ocorrer perda de proteína na urina, que causa os inchaços nas pernas, pés e mãos e que podem causar convulsões, e o aumento da pressão arterial, que pode trazer problemas futuros.
 
Como cuidar da hipertensão?
 
Entre os cuidados que os portadores de hipertensão deve ter, estão a prática de atividades físicas com acompanhamento medico e principalmente uma alimentação saudável. Redução no consumo de sal, carne vermelha e evitar alimentos gordurosos. È recomendado comer frutas como laranjas e maçãs e alimentos ricos em fibras.
 
O acompanhamento médico e o controle da pressão arterial com medicações são indispensáveis.
 
Entrevista na Radio Bandeirantes AM 1170 - Campinas dia 20/10/2005 





Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2014 - Desenvolvido por Dinamicsite