Insônia: o que muita gente confunde com uma doença na verdade é um sintoma que pode esconder uma doença neurológica
 
Quais as causas da insônia?
A insônia pode ter diversas causas e o mais importante é saber se ela não envolve nenhuma doença neurológica. Pode ser causada por hipertensão, tireóide, diabetes, café, coca cola (bebidas estimulantes), remédios, música alta e esportes violentos praticados pouco antes de dormir.
 
Quais são os tipos de insônia?
Segundo o Geriatra e Gerontólogo Armando Miguel Junior a insônia pode ser classificada em 3 formas. A chamada de aguda pode ser resultante de um dia muito estressante, fadiga, cansaço e não passa de uma noite sem dormir. A seguinte pode ser chamada de intermedíaria que dura de dois a três dias inicialmente até dois meses. Este tipo de insônia ocorre geralmente por alguma perda significativa na vida da pessoa, como luto, emprego ou desilusão. E a que deve ser avaliada, não diferente das outras, com mais atenção é a crônica que permanece por mais de três meses e pode ser um sintoma de doença neurológica.
 
O que mais acontece com os idosos segundo Armando Miguel Junior é a dificuldade que eles tem de entender que a insônia ataca as pessoas de qualquer idade sem distinção e como os idosos já dormem pouco, cerca de 4 horas por dia, este sono deve ter qualidade. “O idoso precisa verificar se ele tem dificuldade para começar a dormir (insônia inicial), que acontece em função da ansiedade, ou se ele acorda e não dorme mais, o que pode acontecer em função de depressão (insônia terminal)”, esclarece.
 
Como é o sono normal?
O sono é composto de cinco estágios, com duração de 90 a 120 minutos. Durante a uma noite de 8 horas ocorre até 5 ciclos de sono. O primeiro estágio é a sonolência (2 a 5% de duração), onde o sono começa a ser aprofundado. O segundo estágio é o intermediário (45 a 55% de duração)Nos estágios 3 e 4 ocorrem às alterações nas ondas cerebrais registradas no eletroencefalograma e o sono começa a ficar mais pesado. O quinto estágio chamado de REM (rapid eye moviment), é onde acontecem os sonhos e o reordenamento da memória pelo cérebro.
 
Como é o sono nos idosos?
Nos idosos, existem modificações qualitativas e quantitativas do sono, principalmente envolvendo os estágios de onda lenta (3 e 4), por isso acorda muito rápido ou quando dorme, fica quase em estado de vigília, ou seja, meio dormindo e meio acordado.
 
Como ter uma boa noite de sono?
O principal tratamento para estes casos começa na mudança de hábito. Comer pouco à noite e ter um ambiente tranqüilo já contribuem bastante. Mas é necessário se fazer uma consulta médica para se saber a origem da insônia e se ela não é sintoma de alguma doença. A auto-medicação é totalmente perigosa nestes casos, pois se desconhece a causa. Ela pode ser tratada tanto com indutores de sono quanto com hipinóticos, que só médico poderá determinar.
 
Ao invés de remédio chás de Melissa, erva cidreira e camomila são aconselháveis, mas deve-se evitar o chá mate e o chá preto que são estimulantes.
 
Entrevista na Radio Bandeirantes AM 1170 - Campinas dia 27/10/2005
 





Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite