A Morte Celular Programada

 

Os modernos conhecimentos da biologia celular tem revelado a cada dia que a morte celular programada e seus indutores e inibidores podem ser a chave para a compreensão de muitas patologias e doenças.

 

Quem primeiro descreveu a morte celular programada foi Kerr em 1972, a partir de observações em timócitos.

 

A apoptose é um tipo de morte celular que possui importante papel durante o processo de diferenciação, crescimento e desenvolvimento dos tecidos adultos normais e patológicos. Isto de certa forma requer uma cascata de fenômenos bioquímicos e moleculares que acabam por proporcionar um fenótipo celular bastante peculiar.

 

Fisiologicamente a apoptose é um dos participantes ativos da homeostase no controle do equilíbrio entre a taxa de proliferação e degeneração com morte das células, ajudando na manutenção do tamanho dos tecidos e órgãos. A perda deste equilíbrio promove o aparecimento de lesões proliferativas e degenerativas como infarto do miocárdio, doença de Alzheimer, etc.

 

Existem muitos fatores que podem induzir o processo apoptótico, como: fatores de crescimento, neurotransmissores, glicocorticóides, cálcio, toxinas bacterianas,radicais livres, agentes oxidantes, agentes mutagênicos, e outros.

 

Dos agentes que inibem a apoptose, destacam-se os hormônios esteroides e androgênicos, o ion zinco, fatores da matriz celular e aminoácidos.

 

A imagem microscópica de uma célula em apoptose é da cromatina compactada na periferia, podendo evoluir para os chamados corpos apoptóticos isolados e bem fragmentos.

 

Como referimos anteriormente para que uma determinada população celular seja mantida, é necessário que as taxas de crescimento e de morte celular estejam em equilíbrio. A apoptose pode ser regulada por um número de proto-oncogenes, genes supressores de tumor e fatores extracelulares. O bcl-2 (B-CELL/lymphoma/leukemia2) foi no primeiro gene controlador da apoptose determinado por Bawshi em 1985.


Kerr, JFR, Wyllie AH, Currie AH - Apoptosis: a basic biological phenomenon with wide-ranging implications in tissue kinetics. Br J Cancer, London, 26(2) 239-257,1972.
Haendchen RV - Apoptose Miocárdica. Um Novo Mecanismo de Morte Celular. Arq. Bras. Cardiol 70(1):65-68,1998.




MENOPAUSA


Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite