Glossário

A síndrome de Guillan-Barré, conhecida como polirradiculoneuropatia inflamatória desmielinizante aguda, é uma causa comum de paralisia generalizada aguda, com incidência estimada de 1,5 a 2 casos por 100 mil habitantes.

A síndrome de Guillan-Barré se manifesta com início agudo de parestesias distais e fraqueza muscular progressiva em seguida a uma doença respiratória ou gastrointestinal. O início da doença se apresenta com quadro leve, sendo comum o médico optar pelo diagnóstico de ansiedade, para no dia seguinte o paciente retornar com paralisia  muscular progressiva. Disfunção autonômica com taquicardia e episódios de hipotensão alternando com episódios de hipertensão ocorrem em metade dos casos.

Os estudos eletrofisiológicos fornecem a confirmação diagnóstica com a evidência de polineuropatia desmielinizante.

O diagnóstico diferencial é relativamente limitado no caso típico, porém devemos lembrar, de outras causas de paralisia aguda: de causa muscular - paralisia periódica;  de causa transmissão neuromuscular -  botulismo, miastenia gravis; de causa nervosa - porfiria, toxinas; por lesão de células do corno anterior - poliomielite.

Tratamento - O tratamento da síndrome de Guillain-Barré requer diagnóstico precoce e internação hospitalar. A doença é monofásica e geralmente tem boa evolução. Os cuidados médicos e de enfermagem é fundamental, sobretudo no cuidado com a função respiratória, que pode ficar crítica. Ensaios clínicos mostram que a troca de plasma, o uso endovenoso de imunoglobulina, tem sido eficaz no casos moderados e severos, principalmente se iniciada precocemente.

Referências:

Bosch EP - Guillan-Barré syndrome: an update of acute immune-mediated polyradiculoneuropathies. The Neurologist 1998;4:211-226.

Rapper AH - The Guillan-Barré syndrome. N Engl J Med 1992;326:1130-1136. 





Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite