crepúsculo

Algumas pessoas com confusão aguda ou crônica ficam agitadas, inseguras no final da tarde e início do escurecer. Este fato, pode ocorrer tanto em suas próprias casas como em casas especializadas.

Ninguém sabe o que ocasiona esse problema, que pode ocorrer tanto no pacientes com doenças cerebrais agudas, como crônicas. A síndrome do crepúsculo pode estar relacionada com a falta de estímulos sensoriais depois do anoitecer. À noite, há menos pistas sobre o que acontece no ambiente, pela diminuição de luz e ausência dos ruídos que marcam a rotina das atividades diárias. Esses ruídos da rotina diurna constituem fortes fontes de segurança, permitindo que ele consiga dormir durante o dia em poltronas desconfortáveis. Sente-se seguros, haverá alguém acordado “vigiando” seu repouso. O que não ocorre � noite.

O paciente afetado pelo crepúsculo fica inquieto por estar com fome, com roupas apertadas (ou molhadas), com dor, necessidade de urinar e coisas que ele só consegue expressar com sua agitação e inquietude.

Efeitos fantasmagóricos

Quando os ruídos diurnos começam a diminuir e o escurecer surge, traz consigo efeitos fantasmagóricos em alguns pacientes. No escuro, muitos idosos confusos interpretam sombras como pessoas preparando-se para molestá-los. Imagens estampadas e quadros nas paredes ajudam a pioram o quadro, especialmente, vasos com plantas e objetos suspensos. Por este motivo, as paredes devem ser pintadas em tons pastéis, com iluminação no rodapé, sem plantas, quadros, espelhos e gravuras.

Prevenção do efeito-crepúsculo

Programas com atividades simples, no final da tarde, como caminhar contemplando a natureza, examinar objetos pessoais que sempre despertaram interesse, ouvir músicas relaxantes, cantar músicas de sua preferência, orar, tomar chá na varanda, ajuda a prevenir o efeito-crepúsculo.

Em alguns casos, somente quando o paciente esgota seus excessos de energia, obtém uma boa noite de sono. Para eles, programas com passeios no parque, visitas a um shopping, sessões de bailes, ou teatro dão excelente resultados. É preferível, gastar um pouco tempo de atenção com estas atividades, ao contrário de muito tempo e energia durante um episódio de agitação noturna.

O uso de medicamentos, especialmente hipnóticos, pode piorar os casos, levando � queda nos idosos agitados e com reflexos deprimidos pelos medicamentos.

Referência:

Gwyther Lp - Cuidados com portadores da Doença de Alzheimer (Trad. Llian Alicke) - American Health Care Association and Alzheimer’s Disease and Related Disorders Association 1985 p.115.





Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite