Editorial

A Rede Internacional para a Prevenção do Abuso ao idoso (Action on Elder Abuse-AEA) define abuso como "um ato único ou repetido, ou a falta de uma ação apropriada, que ocorre no âmbito de qualquer relacionamento onde haja uma expectativa de confiança, que cause mal ou aflição a uma pessoa mais velha".

Os maus tratos aos idosos ocorrem em famílias de todos os níveis sociais. Sua escalada aumenta quando estas famílias enfretam problemas econômicos e desorganização social. Uma forma bastante comum de violência (especialmente contra mulheres) é o abuso com os seguintes fatores sociais: negligência (exclusão social e abandono); violação (dos direitos humanos, legais e médicos) e privação (de escolhas, decisões, financeira e respeito).

O idoso necessita, mais que qualquer outro cidadão, o apoio social adequado, pois sem este ocorre o rompimento de laços pessoais, solidão e interações conflituosas com maior fonte de estresse e depressão. O isolamento social e a solidão na velhice são fontes e conseqüência dos abusos e maus tratos, estando ligados a um declínio da saúde física e mental.

Idosos frágeis ou que vivam sozinhos são particularmente vulneráveis a crimes como furto ou agressão. Este tipo de crime, geralmente, são realizados por pessoas da família ou conhecidos da vítima, e a denuncia nem sempre ocorre, pelo medo que a vítima tem de sofre represálias por parte do agressor.

Estudo de mestrado realizado pela Gaioli, CCLO em 2002, utilizando-se de Boletim de Ocorrência nas Delegacias de Polícia na Cidade de Ribeirão Preto (São Paulo - Brasil) mostrou que os maus-tratos no domicílio ocorreram com maior freqüência entre idosos do sexo masculino (58,6%), com idade média de 75 anos. Da amostra analisada, (45,2%) eram casados e foram agredidos por familiares como filhos, netos, genros e noras (47,1%). A maioria (57,4%) dos idosos não recorreu ao atendimento médico e serviços de saúde.

As instituições públicas e privadas que combatem este tipo de crime têm dificuldades em levar adiante os processos, expondo o idosos a novas agressões e abusos. Em todas as culturas, normalmente, os abusos são pouco denunciado. Combater e reduzir os maus tratos ao idoso requer uma abordagem multi e interdissiplinar, envolvendo não somente os médicos, mas toda a sociedade.

Referência:

Gaiolli, CCLO - Ocorrência de maus tratos em idoso no domicílio (Teste de Mestrado - USP) [on line]





Medicina Prática - TUDO SOBRE MEDICINA


Saudegeriatrica.Com.Br® 2009 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite